Deixa Aqui

9 de abril de 2019


Deixa Aqui




DEIXA AQUI

Deixa aqui
Seu fardo pesado
Atravessa a ponte
E se misture
Não lamente
Apenas siga
Há sempre grandes rios
E as águas fluem com naturalidade
Deixa aqui
Esse choro forte e triste
Abrace o mundo
E sorria
As borboletas se transformam
E voam sem destino
No momento exato e maduro
Deixa aqui
Essa boca vermelha e carnuda
Sedenta
Enlouquecida de desejo
E segue
Não olhe para trás
O vento carregará as emoções
Viva
E acredite que
Ainda há tempo para ser FELIZ!





Reflexões numa tarde de outono

21 de março de 2019
www.elianedelacerda.com

REFLEXÕES NUMA TARDE DE OUTONO


Andei por todo o apartamento procurando o início de um texto ,que gostaria de escrever, após ter terminado de escrever o último capítulo de um conto. Foram várias caminhadas em todos os cômodos, e não conseguia achar a ideia central, isso me deixou um pouco perturbada, pois escrever para mim faz parte de minhas atividades diárias, um compromisso comigo e com as palavras que me aguardam, para que sejam registradas no computador, e futuramente no papel!
Será que estou sem inspiração? Não tenho esse direito de brincar com as palavras, elas existem e me aguardam...
Sentei na cadeira de sempre, peguei meu notebook que fica sobre a minha escrivaninha, abri e fiquei a olhar para a tela que me inspirava o “nada”! Não posso acreditar no vazio do pensamento, faço esse exercício diariamente e as palavras saltam da minha mente em dança constante, flutuam nas minhas vistas.
Observei que há um silêncio no meu ateliê, não tenho ligado o som e ouvido as músicas que gosto para escrever, meus rocks da” Legião Urbana”, meus cantores prediletos. A música me ilumina nas composições literárias que faço.
Liguei o som para ouvir um pouco o “Renato Russo” e a chuva cai fortemente, o que muito me agrada ouvir esse barulho fantástico e o cheiro da terra molhada. Os passarinhos na minha varanda estão quietinhos em seus ninhos, esperando uma estiagem para começarem o namoro, que se estenderá por muitos meses , e o que me faz sentir que a vida é realmente muito especial e que devemos observá-la em seus mínimos detalhes.
Começam a fluir as palavras, de repente, percebo que já não me sinto mais sozinha, o exercício da escrita me satisfaz, sinto-me repleta de  amigas: “as letras!”
Sinto a mesma apatia com relação às atividades físicas, tenho me encontrado meio quieta, sem o “gás” de sempre, o outono me transmite um pouco de introspecção. Reflito muito nessa estação por vários motivos: A Páscoa(renovação da vida), projetos futuros, melhorias interiores, minha vinda ao mundo  e a perda de minha mãe.
Tudo deve prosseguir: o namoro dos pássaros, as músicas no meu ateliê, a construção de poemas, crônicas, contos, romances, a vida pulsante nas minhas palavras.







Carnaval e a Festa Interior

4 de março de 2019
Carnaval
Gosto muito de no Carnaval estar bem quieta em algum lugar do planeta, onde exista apenas natureza e muita alegria!
Se houver música fica melhor, mas gosto de poesia no ar que respiro!
Nordeste me encanta pela beleza das praias e pela arte que flui com naturalidade.
Dentro de mim mora um jogo de palavras, muita alegria e uma dose dupla de paixão pela vida!
Sou essa mistura de Arte!