A Mulher dos Bilhetes -Cap.02

28 de abril de 2019
A Mulher dos Bilhetes cap.02

A vida corria sem atropelamentos, e Daniele não desejava mais nada: Apenas
 Ir além da vida, viver com intensidade todos os segundos sem imaginar o amanhã... sem o planejar.
Foram várias tentativas enlouquecidas de esperança, mas logo em seguida percebia o vazio que se instalava em seu coração, passava dias em plena introspecção, analisando as atitudes humanas e o verdadeiro sentido da vida.
Observou, analisou e decidiu caminhar...
Muitas paqueras surgiram, algumas até bastante interessantes, mas sem o verdadeiro sentido de cumplicidade que esperava e admirava! E a vida seguia sem lamentações...
Decidiu não procurar mais um amor e passou a viver com intensidade todos os momentos com amigos e a família. Assim tudo fluía naturalmente, sem grandes esforços.
Muitos meses se passaram, até que um amigo a pediu em namoro e isso a fascinou demais, mas as roseiras têm espinhos... não podemos impedir que a natureza seja perfeita, sorrisos e lágrimas foram trocados em poucos meses!
Grandes emoções foram vividas, mas faltava carinho, amizade e muita emoção! Não havia mais chance de recuperar as mágoas que foram sentidas por ambos, era momento de com discernimento perceber a partida que se instalava dentro de cada um.
Assim as águas dos rios corriam...
Mas havia uma ligação entre eles muito forte, algo meio enlouquecedor e indescritível, talvez um forte sentimento de amparo, de proteção! Uma verdadeira loucura.
Muitos meses se passaram até que ela reencontra um amor de um passado próximo, e as emoções brotam com sensualidade... aos poucos foram se envolvendo do sexo ao amor ... tudo fica mais leve para os dois, pois haviam passado por momentos difíceis com relacionamentos anteriores, mas havia ainda uma dor ...
Eduardo não conseguia esquecer os momentos que viveu de insegurança e desengano, mas Daniele estava numa fase de desapegar ... trabalhava em sua terapia essa questão tão difícil, pois sempre foi muito romântica e muitas vezes sofria por amar em excesso!
Os momentos em que Daniele e Eduardo estavam juntos eram eternos, quando percebiam a noite já chegava ... abraços fortes, beijos e sempre uma declaração de que não queriam compromisso era colocada , o que esfriava bastante o relacionamento por parte dela. Nada deveria ser dito e apenas sentido (Daniele pensava). O amor deve ser calmo, leve e não magoar... mas a solução seria não absorver as palavras que a incomodavam e tentar sentir os segundos como únicos, e assim a vida corria como as águas dos rios...
Vida que segue...






















4 comentários: